jump to navigation

Doe para o KDE-Edu sprint em Randa – 2012 August 15, 2012

Posted by tumaix in qla-tomazcanabrava.
add a comment
Porque eu devo me importar com o KDE-Edu?
O KDE-Edu é utilizado por mais de 52 milhões de estudantes da rede publica, só no Brasil. De uma forma bem direta, caso os programas educacionais que oferecemos fossem pagos, não seria possivel essa abrangência. Mas não são apenas os programas que são gratuitos, como o trabalho feito para desenvolvê-los também. Nenhum programador é pago para fazer os programas, justamente por isso, nenhum tem dedicação exclusiva – temos outros empregos para sobreviver e criamos os programas educacionais por gosto, e porque é importante fazer algo que ajude o próximo, e neste caso, estamos ajudando 52 milhões de estudantes brasileiros.
 
Encontro Mundial de programadores do KDE-Edu
É natural trabalhar a distãncia quando o assunto é tecnologia, e programas educacionais não são excessão. Mas o trabalho em conjunto – a distância tem justamente o fator distância para atrapalhar, e passar uma semana trabalhando de forma conjunta, com reuniões presenciais, professores, educadores e especialistas em diversas áreas, juntos, faz muita diferença.
O Encontro do KDE-Edu é feito em Randa, uma simpatica cidadezinha suiça com cerca de 400 habitantes, organizado por Mario Fluxx em um grande casarão. Todos trabalham em uma área aberta, sem paredes, com conexão wifi, acordando cedo e dormindo tarde. É um trabalho realmente produtivo pois trabalha-se por gosto, e não por bolso.
Mas nem tudo é de graça
Como passagens de trem e avião. Temos programadores do KDE-Edu espalhados pelo mundo, e o encontro é na europa. No brasil temos dois programas concebidos por aqui (Rocs – Interface de Estudos e Desenvolvimento de Algoritimos de Estruturas de Dados ) criado por Tomaz Canabrava e o Spinet ( Programa de educação musical ) criado por Sandro Andrade. Além do Tomaz e do Sandro temos o Wagner Reck, ex-aluno do Google Summer of Code que se interessou em continuar contribuindo com o desenvolvimento do Rocs, e Filipe Saraiva, que ajuda no desenvolvimento do Cantor ( Interface de agregação para aplicativos Matemáticos como o Octave ), no Peru temos o Ronny Yabar Aizcorbe que criou um programa de ensino de Calculo utilizando as bibliotecas do KAlgebra.
Mas porquê não fazer o evento no Brasil, já que temos quatro pessoas daqui?
Custo. Temos quatro aqui no brasil, um no peru,  mas temos quinze na europa. Ficaria muito mais caro trazer todos pra cá que levar alguns pra lá.
Então, por tudo isso, e pelas 52 milhões de crianças e adolescentes brasileiras que usam nossos programas para crescer e aprender, pedimos ajuda para enviar nossos programadores para Randa, pois pelo quarto ano consecutivo a maratona de programação em Randa irá incluir projetos chave e desenvedores do KDE, todos colaborando mutuamente sob o mesmo teto, isolados do barulho e distrações da vida cotidiana de cidades grandes. Todos os encontros anteriores em Randa foram concentrados e produtivos, gerando resultados excepcionais; organizadores e participantes esperam o mesmo e mais do encontro deste ano, todos os encontros produziram significantes melhorias para os usuarios e desenvolvedores do KDE.
Se você não está indo ainda assim pode ajudar a reunião fazendo uma doação, como no passado a reunião em Randa irá beneficiar todos os que usam softwares do KDE. Nós temos uma meta de 10.000 euros,  doem o que podem para tornar Randa 2012 possivel.

[Muito Atrasado] Novo Desenvolvedor pra o Rocs June 21, 2011

Posted by tumaix in qla-tomazcanabrava.
add a comment

Iniciando uma série de posts-muito-atrasados,
Andreas Cord-Landwehr ( Alemanha ) é o novo desenvolvedor do Rocs, junto comigo ( de rand() ) e Wagner Reck ( de Alegrete ). Andreas está focado em criar novos plugins de integração de grafos, assim com também nos ajudou a matar muitos bugs e corrigir falhas pequenas ( mas irritantes ) na interface do programa.

 

Andreas é o carinha legal da semana. =)

KDE – Edu Sprint – Day 1 April 8, 2011

Posted by tumaix in qla-tomazcanabrava.
add a comment

Agora, depois de praticamente um dia inteiro voando, e uma mala
despachada para suécia, finalmente cheguei em bilbao. Primeiras
impressões: A cidade é linda. tipo, Linda, muito linda. e pequena. dá
pra andar todo o centro de bilbao e a linha de trem/metrô
completamente a pé, não andei ainda porque cheguei tarde, mas o trem
levou da ultima estação até a primeira ( a faculdade onde o evento vai
acontecer e o hotel ficam em pontos opostos ) foi de apenas 20
minutos, o que daria umas 2h andando a pé, ou seja, completamente
andavel.
Eu não trouxe nem camera nem celular, então fotos serão complicadas,
mas tentarei dar um jeito. Visitei hoje a faculdade, fica do lado da
estação de metrô Atxuri, que eu até agora não entendi como se
pronuncia, Tenho um problema também em conseguir me comunicar com as
pessoas da cidade, já que inglês aqui não é nem segunda nem terceira
lingua. essas são basco e francês/italiano. e como meu basco está
próximo de meu chinês, e meu italiano / francês está próximo de meu
etrûsco, eu tenho me comunicado em mimicas.
e em mimicas, fui pra um restaurante caro-e-chique, bancado pela
faculdade, comi pato. tinha tempo que não comia pato, e percebo que
gosto bastante de carne de pato, o problema do restaurante – como todo
restaurante caro – e – chique – era que vinha tão pouquinha comida que
eu voltei pra o hotel com fome. Amanhã minha mala deve chegar da
suécia, foi parar no avião errado, eu acho que isso é porque eu sou
preto e baiano e fazem só de sacanagem.
Com minha mala chegando eu vou pelo menos cheirar a gente, que de
banho tomado eu tou, mas a camiseta e a calça já estão em contato com
minha pele tem pelo menos umas 20 horas.
Escrevi alguns poemas na ida, Li todo o livro que comprei, na ida. e
também fiz amizade com uma velinha que inicialmente, achou que não
gostava de origami.

Não teve nada do congresso ainda, afinal todos acabaram de chegar. Amanhã começa de verdade. 😀

Atividades – Uma Mudança no modo de Trabalho? February 5, 2011

Posted by tumaix in qla-tomazcanabrava.
9 comments

Des de a introdução do conceito de Atividades no Plasma, o tema tem causado confusão para muitas pessoas. Para espalhar alguma inspiração,  Hans escreveu um blog algum tempo atrás com exemplos de como ele utilizava atividades. E acabou que foi um dosposts mais populares, coisa que o autor realmente não esperava, já que isso sugeria que muitos ainda não sabiam utilizar ou para que serviam as tais atividades.

No post, ele explicava  que atividades eram ‘parecidas com desktops virtuais, que são grupos de janelas, mas ao invés disso, atividades eram  grupos de gadgets no desktop’. Sóque na versão 4.6 do KDE atividades evoluiram mais – agora janelas também são associadas com atividades, então Hans quis  escrever um blogpost sobre atividades que mostrasse as coisas atuais que foram criadas na ultima versão, mas alguns dias atrás  Jason Lim Yuen Hoe criou um ótimo artigo sobre atividades (em inglês) que fechavam quase todos os pontos que Hans queria falar, e além disso achou que o post refletia seuspensamentos de uma forma limpida, e se você não leu ainda, por favor,vá.

Neste post traduzido do original de Hans, ele irá falar sobre as visões pessoais de como ele espera que as atividades modifiquem para melhor sua forma de trabalho. É baseado em suas próprias experiências e no que ele leu sobre atividades. Note que isso não necessariamente conhecide com a visão do time Plasma, mas se houverem quaisquer  inconsistências, por favor, indicar nos comentários abaixo.

Após ler, eu espero que tenham um melhor entendimento do que são atividades e comecem a pensar em como elas podem beneficiar você. Também tentarei responder as perguntas mais frequentes como “Porque eu deveria utilizar atividades ao invés de desktops virtuais” e explicar onde eu acho que você deveria usar isso.

Como atividades podem te ajudar?

Vamos começar pelo principio e nos perguntar “Porque precisamos de Atividades?”. Muitos já estão familiares com o conceito de desktops virtuais e o uso deles é bem próximo com o que temos em atividades, o que deixa as coisas mais complicadas. Por essa razão eu irei pegar o caminho mais fácil e assumir que desktops virtuais não existem.  Enquanto você estiver lendo, talvez o pensamento ‘Ei, mas isso é pra que serve desktops virtuais’. Tudo bem, ignore esses pensamentos, eu irei tocar nesse ponto depois.

Então, para bom entendimento, vamos esquecer sobre desktops virtuais agora, Poof. sumiu.

Lembra disso? bem, agora você não deveria lembrar.

O Problema

A  Maioria de nós utiliza computadores para várias tarefas diferentes, como jogos, escrever, criar gráficos e desenvolvimento web, eu tenho certeza de que você pode pensar em mais exemplos.

Algumas das tarefaz você precisa de apenas uma aplicação, Quando decide iniciar um jogo, você joga até terminar e fazer outra coisa, simples assim. Nesse caso, quando uma tarefa equivale a uma janela, é simples de manter as coisas organizadas, quando você quer mudar a tarefa, só precisa fechar a anterior e iniciar uma nova aplicação, Mas a maioria das tarefas que temos pedem mais de uma aplicação aberta, e isso é quando as coisas começam a ficar desorganizadas. Nesse caso utilizamos a barra de tarefas para trocar entre diferentes janelas para a tarefa em questão, mas isso também mostra janelas que não estamos interessados no momento. Um exemplo disso é mostrado no screenshoot abaixo. Eu iniciei trabalhando em um relatório, mas em pouco tempo eu comecei a trabalhar com a planilha. são só duas tarefas, mas pode ver como em pouco tempo a barra de tarefas fica uma bagunça generalizada.

Screenshot mostrando uma barra de tarefas bagunçada… mas já vi piores.

Então, porque você só não fecha todas essas janelas não usadas? Isso é de fato o que muitas pessoas fazem, mas é necessário  fazer isso manualmente, e sempre abrir / fechar janelas sempre que quiser trocar de tarefa. Em adição a isso, vocêtem que abrir os arquivos que quer trabalhar e várias vezes rearrumar as janelas, Isso faz com que o trabalho com janelas atual seja consumidor de tempo e tão anos 90.

Uma conversa rápida sobre gerenciamento de sessões.

Alguns aplicativos suportam sessões,  o queé bom. Sessões te permitem salvar um estado do programa e restaura-lo mais tarde,  Por exemplo, eu posso abrir todos meus arquivos de programação no Kate E salvar como uma sessão. Quando eu estiver na vontade de programar denovo, eu abro o kate e  carrego minha sessão ‘Coding’ e voilà, a aplicação está da mesma forma que eu deixei anteriormente, com todos os meus arquivos abertos.

O Gerenciamento de Workspace do KDE suporta sessões desde que o mundo é mundo, mas sempre em um nível bem básico. Por padrão ele restaura a ultima utilizada ( por exemplo, o estado de suas janelas da ultima vez que fez logout ) mas você também pode restaurar manualmente uma sessão salva, Infelizmente é limitada a uma sessão  (Bug 62157), Então não pode ter uma sessão para programação, outra pra desenhos, outra pra estudos…

Como atividades podem alterar a forma de trabalho

Tradicionalmente nós iniciamos aplicações e alternamos entre elas pela barra de tarefas, Como falado isso funciona bem quando temos uma janela por tarefa.

Para tarefas que requerem mais de uma aplicação, ao invés de iniciar cada aplicação individualmente, é melhor que nós iniciemos uma nova “sessão”. Um clique e tudo está funcional. As aplicações são iniciadas com os arquivos abertos, janelas são ordenadas na forma que preferimos, e tudo que não for relacionado a essa atividade desaparece. trocar de atividades deve ser simples como trocar de sessão.

Quer programar um tiquinho? abra a sessão de programação.

Sim, isso que eu estou descrevendo é o que eu espero nas funcionalidades das atividades do plasma. Mas o que fazer quando as aplicações de uma atividade variam muito? Por exemplo, você não sabe qual jogo irá jogar na sua sessão de jogos, nesse caso nós não queremos remover ou restaurar janela alguma.

Mas o caso é que o conceito de atividades não é limitado a janelas. Ele envolve Todo o workspace, Quando alternar pra a sessão de jogos, você pode não querer restaurar aplicações, mas pode querer um papel de parede e atalhos para seus jogos preferidos. Seu menu de programas terá jogos e seu programa de mensagens instantâneas irá exibir seus parceiros de jogos no topo, etc.

Por baixo, atividades são uma forma fácil de voltar a trabalhar em algo e manter o foco nisso. Não é uma forma de organizar janelas – se você se acha trocando de janelas toda hora, elas provavelmente pertencem a uma mesma atividade ou você não está concentrado em sua tarefa primária. Além disso com atividades você não faz esforço para trocar diferentes tarefas, você só precisa configurar uma atividade uma unica vez, e quando iniciar-la o estado anterior será restaurado e você poderá trabalhar logo em seguida.

Atividades vs. Desktops Virtuais

Eu espero ter convencido a maioria de vocês do porquê nós precisamos alguma coisa como atividades. A próxima questão é, naturalmente, “Nós já temos desktops virtuais, quais os beneficios que uma atividade provê?”.

Anteriormente eu falei sobre o problema de quão rápido sua zona de trabalho vira apenas uma zona quando você trabalha com mais de uma tarefa que envolve mais de uma janela, e a quantidade de janelas na barra de tarefas vai de algo que é apenas um bando pra uma matilha completa. Já houveram tentativas de trabalhar esse problema, como agrupamento das tarefas, Desktops Virtuais que permitem um certo nivel de organização, de uma olhada rápida, eles parecem atividades, mas eu pessoalmente acho que são fundamentalmente diferentes.

Primeiro de tudo, eu vejo desktops virtuais como uma forma de organizar janelas, e nada mais. É algo legal quando você tem várias janelas ao mesmo tempo pra trabalhar, mas Atividades é mais algo como um gerenciador de sessão, você pode salvar o estado de sua area de trabalho ( que já é possível em algum nivel, com desktops virtuais e o atual gerenciador de sessões do KDE ). Você pode também parar as atividades se achar que eles tomam muitos recursos do computador.

Pare atividades que consumam recursos intensivos que não precise no momento

Eu praticamente nunca utilizei Desktops Virtuais para dividir meus trabalhos, mesmo sabendo que algumas pessoas fazem isso. Para continuar com meus exemplos de escrever um relatório e programar, tá, eu poderia mover todas as janelas relacionadas a escrever relatórios para um desktop virtual, e as de programação para outro desktop, mas e meu tocador de musica? Eu quero escutar musica quando eu trabalho no meu relatório e também quando eu estou programando, então a qual desktop virtual ele deve pertencer? Eu geralmente me vejo colocando ele em um desktop virtual diferente.

Com atividades, você pode associar uma janela em particular com mais de uma atividade. Você deve ter tudo que precisa para uma determinada tarefa em uma atividade, o que elimina a necessidade de trocar de desktops virtuais quando você quer trocar de musica, e depois voltar pra a anterior ( a não ser que você realmente queira trocar de atividades ).

Existem outras limitações de desktops virtuais que deixam claro que eles foram criados para diferentes razões que atividades. Em versões anteriores do Plasma você tinha um numero fixo de desktops virtuais para trocar, mas em versões recentes é possivel adicionar e remover “on the fly”. O que acontece é que o numero de desktops virtuais aumenta ou diminui em 1, isso não  parece ser ruim, mas até que você  perceba que ele sempre elimina o ultimo desktop. É provavelmente possível fazer um hack pra acertar isso, mas pelo que eu entendo, não é tão simples.

Finalmente, como eu disse antes, atividades não são só sobre janelas, na versão 4.6 só seu desktop e janelas são afetados quando se troca atividades, mas futuras versões mais aplicativos terão atividades em foco, e essas aplicações poderão ser customizadas para priorizar mostrar informações que serão relevantes a sua atividade atual. Aqui vão algumas idéias do que pode acontecer.

  • Favoritos no lançador de aplicativos
  • Entradas no Dolphin e janelas de abrir / fechar.
  • Busca de arquivos ( mostrando as coisas relevantes da atividade primeiro )
  • Favoritos no navegador
  • Lista de contatos no Kopete
  • Feeds no Akregator

E atividades não são intuitivas?

Algumas pessoas dizem que atividades não são intuitivas e difíceis de entender. Eu concordo até certo ponto, já que as atividades ainda estão em constante modificação, mas eu acredito que o conceito ( pelo menos o que eu descrevi aqui ) é mais fácil de entender do que desktops virtuais.

Eu vejo vários usuarios de linux ( usando linux aqui como um termo bem vasto) aponte e pergunte pra que esses dois-quatro quadrados no painel servem. Alguns vão dizer que aquilo são desktops virtuais, outros vão dizer ‘não sei’. E  o que são desktops virtuais? Até depois de uma explicação a maioria dos usuários não entende ou não vê uso para isso.

Efeitos do Desktop como o cubo ou a grade ajudam bastante já que eles deixam a visualização do que são desktops virtuais de uma forma mais simples e mostram de forma visual o que acontece quando você troca de ambiente. Mas se alguém me pergunta o que é uma atividade, eu posso ter a seguinte conversa.

 

Eu: “Então, o que faz esse momento?”
Ele: “Checando dados pra um estudo.”
Eu: “Então, essa é sua atividade ‘Cientifica’, quando quiser fazer outra coisa, não feche nada e troque de atividades. ”
Ele: “Então agora eu começo uma nova atividade pra escrever minha tese, isso seria minha atividade ‘Escrevendo Tese’?”
Eu: “É.”
Ele: “Bah, estou sem idéias, não lembro o que escrever, vou voltar aos dados, cadê aquele maldito arquivo? ”
Eu: “Quem sabe? volte a sua atividade ‘Cientifica’ que ele tá lá aberto!”
Ele: :D

Então, desktops virtuais são redundantes?

Eu acho que não, existirão pessoas que querem organizar janelas dentro de uma unica atividade, e pra isso os desktops virtuais deverão ser utilizados.

Eu estou na mesma linha de Jason ( que é o autor do artigo que eu linkei no inicio ) Se você usa desktops virtuais para separar janelas para trabalhos especificos, talvez você queira trocar para atividades, com apenas um desktop virtual. Mas se você quer agrupar um grupo de janelas em uma unica atividade, você pode usar desktops virtuais. Finalmente, se você só faz uma tarefa no computador, uma atividade só pode ser o necessário, e desktops virtuais podem ser usados pra organizar as janelas.

Existe uma opção para associar atividades com desktops There is an option to associate activities with virtual desktops (it’s still called “Different widgets for each desktop” in 4.6). Personally I think it just makes things more confusing by merging the two concepts – the only benefit I see now is that it makes it easier to switch activity and move windows between activities by using methods intended for controlling virtual desktops. As activities mature further I hope that this option becomes unnecessary.

Últimas Palavras

Nesse post eu falei sobre minha interpretação de atividades e como eu quero usa-las, Eu quero lembrar a você que o que eu escrevi aqui não é oficial e sim minha visão pessoal. É, entretanto, baseado no estado atual de atividades e no que eu li sobre elas, então a descrição aqui não está longe da realidade.

Eu ainda estou experimentando as atividades, mas acho que elas tem que amadurecer um pouco antes de completamente mudarem minha forma de trabalho, dito isso, eu gosto do que vi no 4.6, e estou ansioso para ver o que teremos no 4.7.

KDE Release Party dia 12/02 no Rio Vermelho – Salvador February 1, 2011

Posted by Sandro Andrade in liveblue-news, qla-tomazcanabrava.
1 comment so far

KDE Release Party

12/02 – 17h

Largo da Dinha (Rio Vermelho)

A comunidade KDE disponibilizou a versão 4.6 dos seus workspaces, aplicações e plataforma de desenvolvimento, trazendo novos recursos para utilização flexível do Plasma Desktop (agrupamento de widgets e melhor gerenciamento de activities, dentre outros), diversas melhorias de desempenho do Plasma Netbook, utilização de rotas geográficas no Marble, integração do Gwenview e Ksnapshot com redes sociais, desenvolvimento de Plasma Widgets com QML, melhor suporte a bluetooth e o primeiro lançamento do build target “mobile”, que permite a compilação e configuração do KDE particularmente voltada para dispositivos móveis.

No dia 12/02, sabádo, estaremos a partir das 17h, no Largo da Dinha (Rio Vermelho), para trocar idéias sobre o KDE e software livre, comemorar, tomar umas cervejinhas e comer um acarajé. Todos são bem-vindos, apareçam !

Plasma Desktop 4.6.0

Plasma Netbook Search and Launch mais rápido

Gwenview compartilhando imagens nas redes sociais mais populares

[edit, adicionado a tag de tomaz para aparecer no planet-kde brasil]

Planet KDE Agora em Português January 26, 2011

Posted by tumaix in qla-tomazcanabrava, liveblue-news.
3 comments

Caros Amigos, Compatriotas e Adoradores de Software Livre em Geral, Hoje estamos ( não hoje, tem um tempiinho já na verdade ) estreando o PlanetKDE em toda sua glória, com um agregador de Feeds em Português. Caso você tenha um blog que fale sobre o KDE em nossa lingua mãe, mesmo que a mãe seja a ultima flor do Lácio, por favor, junte-se a nós. O KDE é o maior grupo de Software Livre em existência, e um dos unicos 2 grupos a ter passado a barreira de mais de um milhão de commits em seus repositórios de código ( o outro unico projeto a passar essa marca é o Apache ). 

Alguns sites geralmente dizem que nós, pobres programadores do KDE, não gostamos de ouvir os usuários, sempre tivemos blogs e sempre falavamos das noticias, mas em sua maioria em inglês.  Estamos nos esforçando pra ficarmos mais perto de Você, nosso querido usuario e amigo, e fazer deste que é um dos sistemas desktop linux mais usado no globo, o melhor possível.
Tomaz