jump to navigation

Plasma Active – Uma Nova Abordagem July 9, 2012

Posted by Sandro Andrade in liveblue-news.
trackback

Plasma Active – Uma nova abordagem no mundo dos tablets

Por que voce gastaria alguns dolares em um aparelho que é um pouco mais que umsmartphone (com uma tela maior mas sem o telefone) ?

Apesar do sucesso dos iPads da Apple essa é uma questão que parece desafiar a maioria dos vendedores de hardware e software. O MeeGo lutou para construir uma interface de usuário para tablets mas não conseguiu mais que um pré-lançamento. Apresentou algumas funcionalidades simples, tais como assistir vídeos, tocar música ou navegar na web, realmente não mais do que um telefone moderno com uma tela maior poderia fazer. Mesmo o iPad, um reconhecido sucesso, é pouco mais do que um iPhone maior. O seu conjunto de aplicações tem sido amplamente copiado pelos tablets baseados em Android que surgiram no mercado até o momento.

Mas para que servem os tablets ?

Um tablet em uso (ou não utilizado em uma de suas gavetas) é um verdadeiro computador. Ele pode fazer mais do que simplesmente navegar na web e assistir vídeos ? Marco Martin, conhecido hacker KDE e colaborador da basysKom pensa assim: “o fato que pessoas baixam e usam várias aplicações mostra que existe esse desejo de fazer algo mais”. Ele se incomoda com o fato que “a maioria das aplicações para dispositivos móveis parecem estar desconectadas uma das outras”. Marco acredita que é este o ponto onde o Plasma Active – interface para usuário desenvolvida pelo KDE e o conjunto de aplicações para dispositivos móveis touchscreen – pode atacar e disponibilizar uma brilhante solução.

11156f1.jpg

Figura 1. O Plasma Active vem com uma seleção de aplicações, algumas mais prontas para touchscreen do que outras

Plasma Active traz uma nova abordagem para dispositivos touchscreen e tenta oferecer mais do que um conjunto de aplicativos para as tarefas mais simples. Mais que um desktopou mesmo um notebook, um aparelho touchscreen é fácil de ser transportado e utilizado em diferentes contextos e para diferentes fins. O Plasma Active faz uso das activities do KDE, algo que tem confundido os usuários do ambiente desktop (veja activities – uma solução procurando por um problema ?), mas, os desenvolvedores acreditam, que faz sentido nostablets.

Aaron Seigo – membro-fundador do Plasma Active e um dos principais desenvolvedores por trás da família de interfaces para usuário KDE Plasma – celebra as activities como um grande avanço, dizendo que “muitos consideram que a habilidade de organizar informações e aplicações entre diferentes activities aumenta significativamente o valor do dispositivos na vida deles”. Ele usa um exemplo pessoal: “enquanto eu estava de férias, utilizei as activities para manter o controle dos meus roteiros e planos, de algumas tarefas do trabalho e para manter-me atualizado de tudo na volta para casa. Eu tenho algunstablets Android e em nenhum deles teria sido tão útil.”

Activities – uma solução procurando por um problema ?

Desde 2008 o KDE tem investido no conceito de activities com resultados divergentes. Muitos usuários não têm certeza da diferença entre activities – projetada para permitir a divisão de diferentes tipos de tarefas – e desktops virtuais – utilizados por muitas pessoas para também dividir diferentes tipos de tarefas.

A idéia é que, embora os desktops virtuais ofereçam espaço extra e alguma forma de agrupamento (por exemplo, você pode ter diferentes áreas de trabalho para e-mail, web, trabalhos numéricos e trabalhos gráficos), as activities disponibilizam interfaces específicas para tarefas diferentes em diferentes momentos.

Imagine que você é um estudante universitário. Você poderia usar os desktops virtuais conforme descrito acima: com e-mail em desktop virtual e anotações de aula em outro. Mas você pode usar as activities para definir agrupamentos para cada disciplina. Você teria uma calculadora na sua activity “Aula de matemática”, uma tabela periódica na sua activity“Laboratório de química” e acesso rápido aos seus jogos na activity “Tempo livre”. Com o mecanismo de troca rápida entre activities e as recomendações automática por activity, oPlasma Active leva este conceito mais longe, fazendo com que o tablet altere totalmente sua configuração de acordo com a mudança da activity. Dessa forma, você terá seu tabletconfigurado do jeito que você quer, para cada tarefa que você possa experimentar.

11156f2.jpg

Figura 2. Você pode customizar cada activity com widgets específicos e alternar entre activities facilmente utilizando o Seletor de Activities.

Primeiras Impressões

Quando você inicia o Plasma Active pela primeira vez (veja Experimente o Plasma Active 2 para saber como usá-lo), você obtém o que parece ser um desktop KDE padrão. As principais diferenças são um painel no topo da tela e a ausência do menu convencional de aplicações. Duas pequenas abas parcialmente abertas em cada lado da tela também não são encontradas no espaço de trabalho padrão do KDE. Esses três itens fornecem o controle principal do Plasma Active. Arraste um pouco o painel de cima para baixo e você verá uma barra de tarefas sensível ao toque, com uma visualização dos aplicativos atualmente em execução e um botão para minimização destes aplicativos. Arraste um pouco mais abaixo e você verá um conjunto de ícones de aplicativos, não muito diferente das previstas no Android ou tablets da Apple, com uma caixa de pesquisa onde você pode rapidamente localizar o aplicativo desejado. Até agora, nada tão revolucionário.

Experimente o Plasma Active 2

O lançamento mais recente do Plasma Active é bem fácil de testar. Se você já tem um computador rodando Meego ou OpenSUSE você pode instalar os pacotes necessários. Entretanto, uma opção mais segura e conveniente é tentar um das live-images disponíveis – elas ainda podem ser utilizada para instalação caso você goste do Plasma ActiveLive images baseadas no Meego são disponibilizadas pela basysKom, enquanto a open-slx fornece uma imagem baseada na distribuição Balsam Professional (derivada do OpenSUSE e mantida pela própria open-slx).

Você pode ainda tentar o Plasma Active em dispositivos ARM (por exemplo em tabletsAndroid) usando uma imagem construída com base no Mer – porte do MeeGo para arquiteturas ARM.

Detalhes sobre a instalação e opções de teste podem ser encontrados na wiki do KDE (http://community.KDE.org/Plasma/Active/Installation).

O desempenho das live-images depende do pendrive e do tablet sendo utilizados. Você pode instalar efetivamente o software para obter um melhor desempenho mas isso pode, é claro, sobrescrever o seu sistema operacional existente.

À medida em que o Plasma Active – e tablets em geral – se tornem mais conhecidos, é provável que muitas distribuições comecem a oferecer o Plasma Active como interface de usuário ou disponibilizem distribuições especialmente otimizadas para o Plasma Active.

Como Aaron Seigo notou: “uma solução somente importa se as pessoas podem realmente utilizá-la”. Você poderá encontrar algum dia dispositivos com Plasma Active à venda, a equipe do Plasma Active está “trabalhando muito para tornar isto uma realidade em um futuro próximo”.

Se adaptando a diferentes tarefas

As duas abas dos lados da tela são características únicas do Plasma Active. A aba na direita quando arrastada revela o seletor de activities, onde cada activity é representada por uma imagem. Algumas activities são pré-definidas, tais como “Introdução” (fornece alguma informação sobre como começar), “Plano de Férias” (exemplo de activity para uma atividade específica) e “Minha Primeira Activity” (que o convida a fazer a sua própriaactivity). Você pode remover, configurar ou adicionar activities usando ícones que estão visiveis no seletor de activities.

11156f3.jpg

Figura 3. Você pode ter uma activity para cada tarefa que você precisa e deseja fazer.

Selecionar uma activity modifica o papel de parede e os widgets do desktop para aqueles associados com a activity selecionada. Escolha a activity de planejamento de férias e você verá o papel de parede associado, terá o widget KDE para previsão do tempo e osbookmarks para o OpenStreetMap, Wikitravel e serviços ferroviário em seu desktop. Você pode abrir um navegador e começar a fazer as suas reservas de férias mas se o seu filho (ou você) tem uma repentina vontade irresistível de jogar Solitaire, você pode simplesmente mudar para uma activity criada para jogos. Se você verificar a barra de tarefas (puxando para baixo o painel do topo) você vai ver que ele só exibe as aplicações da activity atual. Portanto, suas reservas de férias estão a salvo de pequenos dedos acidentalmente fechando o navegador ou atualizando as reservas para viagens transatlânticas de primeira classe. Uma vez que seu filho (ou você) tenha terminado de jogar, você pode usar o seletor de activities para voltar a reservar as suas férias rapidamente.

Ficando esperto com Nepomuk

A aba do lado esquerdo da tela exibe as recomendações do Plasma Activelinks para arquivos, widgets e contatos que podem ser relevantes para a atividade atual. Tudo isso é baseado no Nepomuk: tecnologia de armazenamento semântico do KDE que cria links entre itens baseado nos seus contextos de uso. Marco explica que isso permite que “as informações armazenadas no dispositivo sejam mantidas em um local central, permitindo que sejam tratadas de maneira uniforme e exibidas de forma coerente, independentemente se é um arquivo, um contato, um bookmark ou informações sobre um local, ligando-as através de informações semânticas”. O que isto significa na prática é que as recomendações são mais do que uma lista de arquivos usados recentemente ou mais acessados, sugerindo documentos que são frequentemente usados em conjunto com aqueles atualmente abertos ou usados frequentemente na mesma activity (as recomendações são específicas a cada activity). Enquanto eu escrevia este artigo o sistema me sugeriu alguns itens irrelevantes mas rapidamente aprendeu a sugerir imagens que eu tinha coletado e sugeriu acrescentar as “Diretrizes para autores do Linux Journal” e o “Plasma Active Wiki Pages” aos meus favoritos. A idéia é que o sistema aprenda com o seu usuário e torne-se cada vez mais útil com o passar do tempo. Com base na minha experiência, o Plasma Active ganha a minha aprovação mas com cautela.

11156f4.jpg

Figure 4. O Plasma Active disponibiliza recomendações de arquivos e ações relevantes à activity atualmente em execução.

Nepomuk, desde que foi introduzido pela primeira vez no KDE em 2008, tem sido alvo de muitas queixas sobre o uso de recursos, algo que é certamente motivo de preocupação ainda mais em um dispositivo portátil de baixo consumo de energia. Marco, no entanto, aponta que “em um dispositivo móvel a quantidade de dados armazenados é muito pequena se comparado a um desktop, e as medições mostraram que o uso da memória permanece muito pequeno devido ao número limitado de itens”. Além disso, ao utilizar um armazenamento central “evita-se a necessidade de desenvolver um armazenamento/indexação diferente para cada aplicação”. Aaron concorda: “os dispositivos alvo são atualmente todos na faixa de 600MHz a 1GHz de processamento com 256MB ou mais de memória RAM. Nesses dispositivos o Nepomuk funciona de modo aceitável”. Mesmo assim os desenvolvedores estão trabalhando em várias “otimizações e melhorias” e Aaron reconhece que há sempre a possibilidade de “desintalar o Nepomuk em alguns cenários menos favorecidos, em termos de hardware e interação com o usuário”. Eu não presenciei a tradicional lentidão que às vezes acompanha uma extensa indexação nos ambientes desktop.

As aplicações são o centro de tudo

A interface de usuário é elegante e bem planejada e, através das activities, oferece algo diferente da concorrência. No entanto, um computador é apenas tão bom quanto as aplicações disponíveis e, se deseja-se que o Plasma Active seja um sucesso, o KDE deve disponibilizar um conjunto convincente de aplicações touch-friendly.

11156f5.jpg

Figura 5. As aplicações que já foram ajustadas para o uso com o Plasma Active, como o visualizador de imagens, funcionam bem.

Algumas variantes “Active” das aplicações do KDE já estão disponíveis. Estas incluem aquelas concebidas especificamente para o Plasma Active, tal como o navegador web e o visualizador de imagens, sendo que ambos bastante fáceis de usar. Algumas outras aplicações, tais como o media player Bangarang, sofreram modificações para se tornarem mais touch-friendly. Há versões Active para o conjunto de aplicações de groupware Kontact. Elas são fáceis de usar com touch-screen, mas suas interfaces são tão diferentes dos seus homólogos desktop que mesmo se você é um usuário experiente do Kontact, você vai descobrir que demora um pouco para se acostumar. O Calligra, parte da suite de produtividade do KDE, também está disponível na sua versão Active, porém com baixo desempenho no dispositivo que usei. Entretanto, a tecnologia de base do Calligra já vem sendo utilizada com sucesso nos visualizadores FreOffice dos telefones Nokia, por isso é provável que o desempenho melhore.

Algumas outras aplicações como o Dolphin (gerenciador de arquivos do KDE) não foram adaptadas para o Plasma Active. A mesma interface original é usada nas operações de abrir e salvar arquivos da maioria das aplicações, mas essas serão melhoradas nas próximas versões.

Uma das principais aplicações para tablets – o teclado na tela – funciona muito bem, com botões fáceis de usar e um layout sensato. Aparece quando necessário mas pode ser alternado de baixo para o topo da tela, se desejado.

11156f6.jpg

Figura 6. O teclado na tela é fácil de usar e pode ser acultado quando necessário.

Compartilhar, Curtir, Conectar

Outro novo recurso do Plasma Active é a presença dos botões do painel superior: Compartilhar, Curtir e Conectar. Estes botões tornam mais fácil o compartilhamento imediato de conteúdo (tais como imagens) em redes sociais ou serviços de armazenamento on-line; “curtir” informações presentes em redes sociais ou localmente (por exemplo, fazendo obookmark de uma página), e conectar itens a outros como, por exemplo, associar um documento ou página web à activity atual de modo a sempre estarem prontamente disponíveis no futuro. Dessa forma, se você quiser ter acesso rápido a uma imagem, basta clicar no ícone “Conectar” para adicioná-la como um widget da área de trabalho da activityatual.

11156f7.jpg

Figure 7. Você pode facilmente associar um arquivo ou página web à uma activity usando o botão Conectar (Connect).

Aberto para Negócios

Plasma Active tem sido um projeto incomum dentro do KDE devido à forte participação de empresas desde a sua concepção. Entre estas a basysKom contratou desenvolvedores para trabalhar no Contour: a combinação de activities e recomendações centrais à experiência do usuário do Plasma Active. Marco afirma que “todo mundo da comunidade é convidado a participar e contribuir, assim como qualquer outro projeto KDE – as empresas são também membros da comunidade e estão ajudando em muitas tarefas (incluindo as menos divertidas, com o objetivo de alcançar o nível de qualidade necessário a um produto real)”. Estas empresas estão também tornando mais fácil experimentar o Plasma Active, através da disponibilização de live-images fornecidas pelo basysKom e open-slx (veja Experimente o Plasma Active 2).

Vida após o MeeGo

No passado, grande parte dos esforços do KDE no mundo mobile eram direcionados a dispositivos robustos baseados no MeeGo, particularmente aqueles criados pela Nokia. No entanto, a decisão da Nokia de usar o Windows como base para seus smartphones e o subsequente descarte do MeeGo pela Intel em favor da colaboração com a Samsung (Tizen) têm modificado este cenário. Estas notícias, entretanto, não preocupam tanto os desenvolvedores do KDE. Aaron aponta que “o Plasma Active não é dependende de qualquer sistema operacional e é altamente portável”. De fato, existem “live-images para o OpenSUSE, Meego e Mer”.

Dispositivos ARM rodando o Android são muito populares atualmente e o Plasma Activetambém tem alguns desses hardwares como alvo através de uma live-image específica para ARM baseada no projeto Mer. Mas e o Android em si ? Não é atualmente a alternativa mais atraente para Marco, que argumenta que “o Android, embora lançado com uma licença open-source, é fortemente controlado pelo Google e não deixa muito espaço para que uma comunidade de desenvolvedores cresça e contribua”. Ele, no entanto, reconhece que o Android “é de fato uma boa plataforma e não excluímos algum trabalho de integração com ela no futuro”.

Existe também a possibilidade de o Plasma Active ou tecnologias relacionadas vislumbrarem muito mais do que apenas tablets. Aaron observa que já “alguns estão sendo executadas em dispositivos handset“, mas que “a experiência de usuário atual foi projetada especificamente para tablets“. Ele planeja, no entanto, começar a trabalhar com “interfaces especificamente projetadas para outros form factors, tais como set-top boxes e handsets“. O elemento chave para isso é a forma com que o Plasma foi projetado: “o Plasma permite a contrução de múltiplas (e diversas) interfaces de usuário sem começar do zero. O Plasma DesktopPlasma Netbook e agora o Plasma Active são exemplos reais deste benefício: todos eles são visivelmente bem diferentes mas compartilham quase todo o código.”

O futuro do Plasma Active

Plasma Active é ainda um software recente. O Plasma Active 2 foi lançado pouco antes de este artigo ser escrito e é a versão discutida aqui. O Plasma Active 3 é esperado para o final de 2012 e “trará novos recursos e novas aplicações”, de acordo com Aaron. A partir de uma perspectiva puramente de usuário final, o número limitado de aplicações touch-friendly significa que o Plasma Active ainda não está pronto. No entanto, vale a pena experimentar e pode ser ainda mais atraente no seu terceiro lançamento ainda este ano. Ele já está mais elegante e completo do que qualquer um dos tablets MeeGo pré-lançados.

Há outras razões para se entusiasmar com o Plasma Active. Para Marco, a motivação para começar a trabalhar no Plasma Active teve “razões diferentes, ambas puramente tecnológicas e sociais”. As sociais são talvez melhor resumidas por Aaron: “atualmente há um foco excessivo em dispositivos criados somente para atender a proprietários de lojas de aplicativos e focam no consumo de novos dispositivos simplesmente pelo fato de serem uma novidade”, algo que ele acredita que tem “paralisado o progresso”.

Aaron vê um futuro diferente para o Plasma Active e aqueles que optam por contribuir ou usar o software: “deveríamos estar procurando uma forma de apoiar a vida das pessoas e torná-la melhor. Isso precisa ser feito de forma socialmente responsável, o que significa que software livre, bem como processos abertos, devem guiar o desenvolvimento. Este é o propósito do Plasma Active.”

Fontes

Plasma Active: http://plasma-active.org

Plasma Active Installation: http://community.KDE.org/Plasma/Active/Installation

Artigo Original (inglês): Linux Journal – Plasma Active – a New Approach to Tablet Computing

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: